quarta-feira, 30 de julho de 2014

Testemunho do X Encontro de Jovens OCDS

Eu sou Jullia Márcia da Paz, do Grupo São José de Petrópolis – Rio de Janeiro. O “X Encontro de Jovens da OCDS” iniciou-se para mim há 8 anos atrás, pois aos 14 anos iniciei a minha caminhada pela descoberta da minha vocação, ou seja, pela vontade de Deus para minha vida. Meu primeiro passo foi uma novena de Santa Teresinha – da qual recebi uma rosa como confirmação – e foi ela que me acompanhou durante todo meu processo vocacional. Não saberia datar quando conheci o Carmelo Descalço nem quando tomei Santa Teresinha por amiga e intercessora, pois devido à minha mãe – Estela Márcia, também do Grupo São José – sempre os tive presente. Mesmo neste contexto, passei por diversas congregações e comunidades tentando encontrar-me.
Até que aos 18 anos conheci o Carmelo São José de Petrópolis – visto que já conhecia o Carmelo do Espírito Santo de Teresópolis – e suas monjas, gerando em mim profundo encantamento e conformidade de alma. Só assim pude perceber que em um caminho vocacional pouco importa o serviço e sim a espiritualidade, já que é a oração que nos une ao Amado e se estamos unidos à Ele, as diversas atividades e trabalhos para o Senhor não farão diferença.
Em 2012, a Madre Bernadete nos apresentou a OCDS e demos início ao Grupo São José, porém não pude dar continuidade às reuniões tendo que me afastar no ano seguinte. Uma decisão difícil, mas acertada para o momento, já que eu estava iniciando uma pós-graduação latu sensu, que exigiu muita dedicação. Esta decisão foi tomada a partir palavras de Antônia, conselheira RJ, que ficaram registradas em mim: “A OCDS deve ser prioridade em sua vida”.
No ano presente, ao fazer os primeiros contatos sobre o Encontro e minha inscrição, pedi ao Senhor e comentei com os mais íntimos que este seria meu retorno à OCDS e que se Deus quisesse já estaria com minha monografia pronta e livre da pós-graduação. A providência de Deus foi fantástica, pois no decorrer de minha pesquisa sempre encontrava entre meus livros uma foto da Serva de Deus, Madre Carminha de Tremembé, e resolvi abraçá-la como minha intercessora nesta reta final. Na semana do Encontro, por sua intercessão e graça de Deus, consegui entregar meu texto monográfico à minha orientadora. Para completar minha gratidão, durante o encontro estivemos no Carmelo da Santa Face e Pio XII, oramos sobre seu túmulo e ganhamos relíquias de Madre Carminha.
Dentre tantos momentos importantes que poderia citar sobre o Encontro, destaco a dinâmica oracional sobre as Sete Moradas da Santa Madre, Teresa de Jesus. Defino-a como fascinante e surpreendente. Ao caminharmos por cada morada com Teresa e Jesus, minha história transcorria frente meus olhos e sentia saudade de tudo o que ainda não vivi. Ao ouvir cada música e cada pensamento da Santa Madre, minha alma ardia em desejo de encontrar-me e encontrar Nosso Senhor. Ao receber as chaves da terceira morada, me senti pequena e sedenta do Amado, d’Aquele que devo completa obediência e que me ensina a humildade. E por fim, ao entrar naquela “sala quatro” após passar por todas as moradas e ver Jesus Sacramentado dentro de um castelo, relembrei o quanto sou amada, mesmo em minhas misérias. Este foi o auge do Encontro, afinal, a todo instante a Comissão nos falava sobre reconhecer-nos em Jesus e reconhecer Jesus em nós – “Mira que te mira”. Eu era aquele castelo, feito de frágil papel, e nele habitava o Rei, em mim habita o Senhor.

Deixo assim, minha gratidão a todos que contribuíram direta ou indiretamente para que eu chegasse até o dia de hoje e pudesse vivenciar a certeza de Deus em meu ser. Citar nomes seria difícil, por isso rendo glórias ao Senhor, que recompensará com justiça a todos que se doaram por Ele e para Ele nesse X Encontro de Jovens da OCDS.


Carmelo de Teresópolis com minha mãe Estela Márciaa e minha irmã Lizza Márcia.

Carmelo de Petrópolis cm meus pais, Deynalmo José e Estela Márcia.

Jullia Márcia da Paz Moreira de Araújo

Grupo São José – Petrópolis RJ



Nenhum comentário:

Postar um comentário