domingo, 7 de dezembro de 2014

Advento é Tempo de Conversão -João Batista prega com a mesma força do profeta Elias

                                     
Segundo domingo do advento
                                         

Evangelho de Jesus Cristo, segundo Marcos
1Início do Evangelho de Jesus Cristo, Filho de Deus. 

2Está escrito no Livro do profeta Isaías: Eis que envio meu mensageiro à tua frente, para preparar o teu caminho. 3Esta é a voz daquele que grita no deserto: Preparai o caminho do Senhor, endireitai suas estradas!’”
4Foi assim que João Batista apareceu no deserto, pregando um batismo de conversão para o perdão dos pecados. 5Toda a região da Judéia e todos os moradores de Jerusalém iam ao seu encontro. Confessavam seus pecados e João os batizava no rio Jordão.
6João se vestia com uma pele de camelo e comia gafanhotos e mel do campo. 7E pregava, dizendo: Depois de mim virá alguém mais forte do que eu. Eu nem sou digno de me abaixar para desamarrar suas sandálias. 8Eu vos batizei com água, mas ele vos batizará com o Espírito Santo. 








João Batista - Preparando o Caminho do SenhorA profecia aponta para a obra de preparo feita por João.  Ele é a voz do deserto clamando: "Preparai o caminho do Senhor" (Isaías 40:3).  Malaquias disse que João haveria de preparar "o caminho diante" do Senhor (Malaquias 3:1-2).  O preparo espiritual de João é um indício da natureza espiritual do reino.

João começa a sua obra identificando-se.  "Eu não sou o Cristo " (João 1:20), disse ele.  Ele é aquela voz que prepara o caminho do rei (João 1:23).  Um anjo resumiu a obra de João:  "Irá adiante do Senhor no espírito e poder de Elias, para converter os corações dos pais aos filhos, converter os desobedientes à prudência dos justos e habilitar para o Senhor um povo preparado" (Lucas 1:17).

1. O preparo para a vinda do reino foi feito por meio da proclamação de advertência e da necessidade de arrependimento.  João advertiu os fariseus e os saduceus:  "Já está posto o machado à raiz das árvores; toda árvore, pois, que não produz bom fruto é cortada e lançada ao fogo" (Mateus 3:10).  Multidões escutavam o apelo de João:  "Arrependei-vos, porque está próximo o reino dos céus" (Mateus 3:2).  Os que atendiam ao chamado e se arrependiam se tornavam um povo preparado produzindo "frutos dignos de arrependimento" (Mateus 3:8).  Muitos foram batizados por João no rio Jordão.  Uma geração de víboras rejeitou a mensagem, ao passo que outros permitiram que o mensageiro de Deus os preparasse.

João Batista veio com a disposição e o poder de Elias (Lucas 1:17).  Em nenhum lugar isso é mais claro do que na descrição de Lucas 3:18-19:  "Assim, pois, com muitas outras exortações anunciava o evangelho ao povo; mas Herodes, o tetrarca, sendo repreendido por ele, por causa de Herodias, mulher de seu irmão, e por todas as maldades que o mesmo Herodes havia feito". O preparo para o reino espiritual que estava por vir exigia uma obra de escavação.  Os vales tinham de ser preenchidos, e os montes tinham de ser rebaixados.  Assim como Elias fez o que pôde para tirar a idolatria, o assassínio e a desonestidade (1 Reis 18, 19), também João opôs-se aos pecados da nação e os desmascarou.  Entre esses pecados estavam "todas as maldades que o mesmo Herodes havia feito".
2. O caminho do rei foi preparado por João, mostrando especificamente a mudança que deve ocorrer na vida dos homens.  João não só condenava o mal, mas salientava a mudança que Deus espera das pessoas perdoadas.  Os publicanos, os soldados e o povo em geral perguntavam:  "Que havemos, pois, de fazer?".  A Voz exigia generosidade (Lucas 3:11), honestidade (Lucas 3:13) não-violência e contentamento (Lucas 3:14).  A preparação feita por João foi para um caminho de santidade, e o povo de Deus deve andar nesse caminho (Isaías 35:8-10).

3. João preparava para o reino vindouro referindo-se ao rei do reino. Não bastava advertir a nação judaica para que fugissem da ira de Deus (Mateus 3), nem instruí-los com respeito ao procedimento esperado por Deus (Lucas 3), mas era essencial que o rei que estava por vir fosse identificado.  João tinha estado batizando em Betânia e, no dia seguinte, quando viu Jesus se aproximar dele, exclamou:  "Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo" (João 1:29).  Jesus era visto por João como aquele tipificado no cordeiro pascal, e como aquele cordeiro que "foi levado ao matadouro" pelo pecado do homem (Isaías 53).

A eficácia da obra de João é exemplificada no primeiro capítulo do livro de João.  "No dia seguinte, estava João outra vez na companhia de dois dos seus discípulos e, vendo Jesus passar, disse:  Eis o Cordeiro de Deus!  Os dois discípulos, ouvindo-o dizer isto, seguiram Jesus" (João 1:35-37).  Ao levar esses dois discípulos ao rei do reino espiritual de Deus (João 18:36-37), João havia desempenhado bem a sua função.  Dois homens preparados estavam prontos para se tornar discípulos de Cristo, e mais tarde seriam parte do fundamento do reino, no qual todos os santos seriam cidadãos (Efésios 2:18-22).

- por Robert H. Bunting





Nenhum comentário:

Postar um comentário