domingo, 5 de setembro de 2010

Jovens da OCDS

MENSAGEM AOS JOVENS PARTICIPANTES DO VI ENCONTRO

“Reconhecendo-te em Jesus Cristo”

Caros Jovens: Paz a vocês!

Gostaria de propor à reflexão de vocês a cena do chamado de Jesus ao Jovem rico, como aparece no evangelho de Marcos 10 e no seu comentário abaixo, a fim de que, acolhendo o amor gratuito de Jesus, se busque um conhecimento e uma maior capacitação do amor, fonte de todo conhecimento humano e espiritual.

“Um homem se aproxima de Jesus e lhe pergunta como alcançará a vida eterna”. Seguindo a tradição israelita, Jesus lhe recorda que cumpra os mandamentos. O homem confessa que «já os cumpriu»: sabe agir, é um bom cumpridor, se comporta bem em nível de leis. Porém ainda não chegou ao plano estritamente religioso da contemplação pessoal, o da gratuidade. Por isso, o texto segue: “Jesus, olhando-o com amor, lhe disse: Uma coisa te falta: vai, vende o que tens e dá-o aos pobres, e terás um tesouro no céu; depois, vem e segue-me”.

O Evangelho não impõe uma lei, não se fecha no cumprimento de um mandato. Superando todo legalismo, a partir da plena gratuidade do reino, Jesus contempla e quer bem ao homem que o busca, e com um olhar e uma palavra de amor pede sua companhia. Este é o seu ponto de partida, o caminho que conduz à «civilização do amor»: o amou, olhou com carinho e lhe disse: «segue-me, vamos juntos».

A religião (experiência de reino) se situa, para Jesus, no amor gratuito, não no cumprimento da lei, nem no dinheiro do rico. A lei não basta: não é sinal nem princípio de amor. O dinheiro em si não é religião, ainda que sirva e seja necessário para os pobres: para que eles possam enriquecer-se com o dom da riqueza deste mundo, aberta para o reino. Como Messias do reino, Jesus só quer amor: quer caminhar com aquele que o busca dialogar com ele gratuitamente, iniciando um caminho conforme o Reino.

Jesus mostra-se assim como quem sabe olhar a uma pessoa para amá-la, suplicando uma resposta (esperando seu amor). “Mas o homem rico da passagem não acolhe o olhar de amor de Jesus, não se deixa contemplar por ele, não responde a seu olhar com um olhar de amor também: calcula seus bens e se vai, porque depende deles.” Qual é a tua resposta?

Que este encontro seja de aprofundamento no conhecimento de Jesus e na resposta ao seu amor livre, fiel e gratuito se conheça a medida de si mesmo: a de amar sem medida.

Deus os abençoe e a todos os que trabalharam para e neste e VI Encontro.

Fr. Alzinir Francisco Debastiani ocd
S. Paulo, julho de 2009.

VI Encontro de Jovens da OCDS

Nenhum comentário:

Postar um comentário